Tabaco e Equipamento de Proteção Individual na Colheita. A Compreensão dos Agricultores Familiares no Sul do Brasil

  • Ana Luiza Bacelo Corrêa Desenvolvimento Territorial e Sistemas Agroindustriais, Universidade Federal de Pelotas. Campus Capão do Leão S/N, Rio Grande do Sul, Brasil.
  • Mario Duarte Canever Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel. Universidade Federal de Pelotas. Campus Capão do Leão S/N, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Décio Souza Cotrim Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel. Universidade Federal de Pelotas. Campus Capão do Leão S/N, Rio Grande do Sul, Brasil

Resumen

O presente artigo objetiva analisar a compreensão dos agricultores que produzem tabaco no sul do Brasil acerca da utilização do equipamento de proteção individual (EPI) na colheita do tabaco. Associado ao manuseio do fumo verde há um risco da intoxicação por nicotina, conhecida como doença da folha verde do tabaco – DFVT, a qual poderia ser evitada com a utilização de EPI. Pouco se conhece das práticas, das adaptações e do entendimento que os agricultores fazem do EPI de colheita. Via a utilização da perspectiva orientada aos atores (POA) e com o suporte de múltiplos estudos de casos verificou-se a hipótese de que os agricultores embora reconheçam a necessidade do uso do EPI, usam práticas/estratégias  diferenciais baseadas em suas vivências para lidar com a possibilidade de intoxicação pela nicotina. Os resultados confirmam que os produtores conhecem o EPI, a DFVT e as relações entre as duas. Contudo, possuem esparsas informações sobre a limpeza do EPI e pouco se protegem no manuseio das folhas nas estufas, especialmente pela ocorrência de uma nova forma de intoxicação, nominada por eles como “bafo do fumo quente”. Finalmente, o artigo reflete as adaptações e inovações fundamentadas nas experiências dos agricultores (capacidade de agência) que ao mesmo tempo não seguem as recomendações oficiais, trazem indagações sobre o desenvolvimento de novos produtos e processos para qualificar a vida destes agricultores.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Métricas

Cargando métricas ...

Citas

Afubra. 2017. Associação dos Fumicultores do Brasil. Dados da Fumicultura na Região Sul e Câmara Setorial do Fumo. Disponível em: <http://www.afubra.com.br>. Acesso em: 7 de março de 2017.

Almeida, G. E. G. 2005. Fumo: Servidão Moderna e Violação de Direitos Humanos. Terra de Direitos. Curitiba, p.168.

Arcury, T. A., S. A. Quandt & J. S. Preisser. 2001. Predictors of incidence and prevalence of green tobacco sickness among Latino farmworkers in North Carolina, USA.Journal EpidemiolCommun Health, Londres, 55: 818– 824.

Bartholomay, P., B. P. Iser, P. P. Oliveira, T. E. Santos, D. C. Malta, J. Sobel & L. D. Moura. 2012. Epidemiologic investigation of an occupational illness of tobacco harvesters in southern Brazil, a worldwide leader in tobacco production. OccupEnvironMed 69( 7): 514–518.

Deshpandé, R. & J. U. Farley. 1998. Measuring market orientation: generalization and synthesis. Journal of Market Focused Management, 2(3): 213- 232.

Fassa, A. G., N. M. X. Faria, R. D. Meucci, N. S. Fiori, V. I. Miranda & L. A. Facchini. 2014. Green tobacco sickness among tobacco farmers in southern Brazil. Am J Ind Med, 57: 726-735.

Francischini, L. 2009. Classificação e eficiência de materiais e de vestimentas de proteção no trabalho com agrotóxico. Tese [Programa de Pós graduação em Agronomia] Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias. Jaboticabal: Universidade Estadual Paulista.

Kaiser, D. R. 2006. Nitrato na solução do solo e na agua de fontes para consumo humano numa microbacia hidrográfica produtora de fumo. Dissertação [Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo]. Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria (RS).

Lima, R. C., C. G. Vitora, M. M. Dall`Agnol, L. A. Facchini & A. C. G. Fassa. 1999. Percepção de exposição a cargas de trabalho e riscos de acidentes em Pelotas, RS (Brasil). Rev. Saúde Pública, 33(2): 12-46.

Long, N. 2001. Development Sociology: actor perspectives. London: Routledge.

Long, N & A. Long. 1992. Battlefields of Knowledge: the interlocking oh theory and practice in social research and development. London: Routledge.

Long, N. & J. P. Ploeg. 2011. Heterogeneidade, ator e estrutura: para a reconstituição do conceito de estrutura. In: SCHNEIDER; S.; GAZOLLA, M. (Orgs.). Os atores do Desenvolvimento Rural: perspectivas teóricas e práticas sociais. Porto Alegre: Editora da UFRGS, p. 21-48.

Narver, J. C. & S. F. Slater. 1990. The effect of market orientation on business profitability. Journal of Marketing, 54,(4): 20- 35.

Oliveira, P. P., C. B. Sihler, L. Moura, D. C. Malta, M. C. Torres, S. M. Lima, C. E. Leite, V. L. Costa, J. Sobel & T. M. Lanzieri. 2010. First reported outbreak of green tobacco sickness in Brazil. Cadernos de saúde pública/Ministério da Saúde, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública, 26(12): 2263–2269.

Riquinho, D. L. & E. A. Hennington, 2014. Cultivo do tabaco no sul do Brasil: doença da folha verde e outros agravos à saúde. Revista Ciência e Saúde, 19(12).

Rudnick, C. P. S. 2008. Agricultura Familiar e empreendedorismo: um estudo sobre as trajetórias de jovens egressos do Centro de Desenvolvimento do Jovem Rural (CEDEJOR) no Vale do Rio Pardo/ RS. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Rural), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Ciências Econômicas, Porto Alegre.

Schmitt N.M., J. Schmitt, D.J. Kouimintzis & W. Kirch. 2007. Health risks in tobacco farm workers—a review of the literature. J Public Health, 25: 255–264.

Selmi, G. F. R., C. L. Correa & F. A. D. Zambrone. 2016. Avaliação da vestimenta-padrão utilizada durante

a colheita das folhas do tabaco e implicações na prevenção da Green Tobacco Sicknees (GTS). Ver.Bras. Med. Trab., 14(3): 184-191.

Sinditabaco. 2017. Sindicato interestadual da Indústria do Tabaco. Disponível em: <http://www.sinditabaco.com.br>. Acesso em: 6 de mar. 2017.

Vogt, O. P. 1997. A produção de fumo em Santa Cruz do Sul, RS: 1849-1993. Santa Cruz do Sul: EDUNISC.

Publicado
2019-12-27
Cómo citar
Bacelo Corrêa, A. L., Duarte Canever, M., & Souza Cotrim, D. (2019). Tabaco e Equipamento de Proteção Individual na Colheita. A Compreensão dos Agricultores Familiares no Sul do Brasil. Revista De La Facultad De Agronomía, 118(2), 019. https://doi.org/10.24215/16699513e019