Estudo higroscópico da polpa em pó do fruto da pitaya (Hylocereus costaricencis) em diferentes concentrações de maltodextrina

  • Erika Milene de Sousa Pinto Universidade Federal Rural da Amazônia, Campus Capanema, Para, Brasil
  • Lênio José Guerreiro de Faria Faculdade de Engenharia Química, Universidade Federal do Pará, Belém, Para, Brasil
  • Walber José Pereira Costa Pós-Graduação em Engenharia Química, Universidade Federal do Pará, Belém, Para, Brasil
  • Carlos Augusto de Sousa Araújo Neto Universidade Federal Rural da Amazônia, Campus Capanema, Para, Brasil
  • Renan Rocha Pereira Universidade Federal Rural da Amazônia, Campus Capanema, Para, Brasil
  • Carla Larissa Fonseca da Silva Universidade Federal Rural da Amazônia, Campus Capanema, Para, Brasil

Resumen

Neste trabalho estudou-se o corante da polpa de pitaya em pó e seu comportamento higroscópico. A pitaya é um fruto nutritivo com baixo valor calórico e alto poder antioxidante devido à presença de betalaínas, pigmentos nitrogenados e hidrossolúveis semelhantes ao grupo das antocianinas e flavonóides, com estruturas químicas diferentes. Os experimentos foram realizados adicionando maltodextrina no corante de pitaya nas proporções de 10, 20, 30, 40, 50 e 100%, visando aumentar a quantidade de sólidos no corante e analisando-se também o corante em pó puro. Em todas as amostras foi realizado o processo de branqueamento e, em seguida, a liofilização por 48 horas, aumentando, assim, a estabilidade por meio da redução da atividade de água, de modo a minimizar reações químicas enzimáticas que ocorrem durante a armazenagem do material, contribuindo para o acréscimo da vida útil do produto. Portanto, por meio da construção de isotermas de adsorção e dessorção de umidade a 25 °C em diferentes concentrações de maltodextrina analisou-se a higroscopicidade do corante de pitaya, assim como, a aplicabilidade de modelos matemáticos na predição das isotermas do produto. As isotermas obtidas foram sigmoidais, classificadas como do tipo II e o modelo de GAB mostrou-se mais adequado para ser utilizado na predição das isotermas de sorção do corante.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Métricas

Cargando métricas ...

Citas

Adebowale, A.R., L. Sanni, S. Awonorin, I. Daniel & A. Kuye. 2007. Effect of cassava varieties on the sorption isotherm of tapioca grits. International Journal of Food Science and Technology, 42: 448-452.

Alexandre, H.V., R.M.F. Figueirêdo & A.J.M. Queiroz. 2000. Isotermas de adsorção de umidade da pitanga em pó. Revista de Biologia e Ciências da Terra, 20:172-175.

Andrade, N.J. & J.A.B. Macêdo. 1996. Higienização na indústria de alimentos. São Paulo, Livraria Varela.181p.

Association of analytical chemists. 1997. Official methods of analysis of AOAC International. Gaitheersburg, AOAC.

Brunauer, S., P.H. Emmett & E. Teller. 1938. Adsorption of gases in multimolecular layers. Journal of the American Chemical Society, 60: 309-319.

Caurie, M.A. 1970. New model equation for predicting safe storage moisture levels for optimum stability of dehydrated foods. Journal of Food Technology. 301-307.

Costa, C.M.L. 2010. Caracterização e análise experimental do recobrimento de sementes de jambu (Spilhantes oleracea) em leito fluidizado. Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, 203p.

Drunkler, D.A. 2004. Estudo da estabilidade de betalaínas em diferentes solventes e em extrato de beterraba (Beta vulgaris L.) adicionado de ciclodextrinas (α, β e γ) e ácidos orgânicos (tânico e gálico). Alimentos e Nutrição, 15: 35-41.

Faria, L.J.G. 1998. Análise experimental do processo de secagem de urucum (Bixa orellana L.) em leito fixo. Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 251p.

Fernandez, C.S. 1995. Isotermas de sorção em substâncias alimentares. In: congresso Ibero-Americano de Engenharia de Alimentos, Campinas. Anais, FEA/UNICAMP-CYTED-SBCTA-Ital.

Ferrari, C.C., S.P.M. Germer & J.M. Aguirre. 2012. Effects of spray-drying conditions on the physicochemical properties of blackberry powder. Drying Technology, v.30, p.154-163.

Francisco, F.G., R. Usberti & J.T.C.L. Toneli. 2007. Ajuste de isotermas de sementes de cultivares de feijoeiro. Revista Brasileira de Sementes, 29: 35-39.

Junqueira, K.P., F.G. Faleiro, N.T.V. Junqueira, G. Bellon, K.G. Fonseca, C.A. Lima & S.M. Sano. 2007. Diversidade genética de pitayas nativas do cerrado com base em marcadores. In: 4º Congresso Brasileiro de Melhoramento de Plantas, São Lourenço. Anais, Diversidade genética de pitayas nativas do cerrado com base em marcadores RAPD.

Kha, T.C., M.H. Nguyen & P.D. Roach. 2010. Effects of spray drying conditions on the physicochemical and antioxidant properties of the Gac (Momordica cochinchinensis) fruit aril powder. Journal of Food Engineering. 98: 385-392.

Mohammer, M.R., F.C. Stintzing & R. Carle. 2007. Colour studies on fruit juice blends from Opuntia and Hylocereus cacti and betalain- containing model solutions derived therefrom. Food Research International, 38:975-981.

Oswin, C.R. 1946. The kinetics of packing life.III. The isotherm. Journal of Chemistry Industrial. n.65, p.419-23.

Park, K.J., A. Bin & F.P.R. Brod. 2001. Obtenção das isotermas de sorção e modelagem matemática para a pêra Bartlett (pyrus sp.) com e sem desidratação osmótica. Ciência e Tecnologia de Alimentos, 19: 326-32.

Peleg, M. 1993. Assessment of a semi-empirical four parameter general model for sigmoid moisture sorption isotherms. Journal of Food Processing Engineering, ConnecticutUSA: Food & Nutrition Press Inc., v. 16, n. 1, p. 21-37.

Picelli, R.M., L.S. Arrieche & D.J.M. Sartori. 2010. Drying and characterization of pioneer arboreal seeds. In: Proceedings of the 17th IDS, Magdeburg. p. 883-889.

Rebecca, O.P.S., R. Zuliana, A.N. Boyce & S. Chandran. 2008. Determining Pigment Extraction Efficiency and Pigment Stal Dragon Fruit (Hylocereus polyrhizus). Journal of Biological Sciences, 8 (7): 1174-1180.

Silva, M.G.C.P.C., W.S. Barreto & M.H. Serôdio. 2009. Comparação nutricional da polpa dos frutos de juçara e de açaí. Artigo Técnico. Disponível em: . Acesso em: 17 maio 2009.

Stintzing, F.C., J. Conrad, I. Klaiber, U. Beifuss & R. Carle. 2004. Structural investigations on Betacyanin pigments by LC NMR and 2D NMR spectroscopy. Phytochemistry. 65: 415-422.

Van Den Berg, C. & S. Bruin. 1981. Water activity and its estimation in food systems. In: Water Activity: Influences on Food Quality (eds L.B. Rockland & G.F.Stewart), pp. 147-177. Academic Press, New York.

Vidal, D., P. Fito, M.L. Gras & V. Gimeno. 2003. Estudio de la actividad del água de dátiles españoles tipo candil. In: Fito P, Mulet A, Chiralt A & Andrés A (Eds) Ingeniería de alimentos nuevas fronteras en el siglo XXI: deshidratación de alimentos y propiedades relacionadas. UPV. v. 2, p. 107-112.

Vieira, A.H., R.M.F. Figueiredo & A.J.M. Queiroz. 2007. Isotermas de adsorção de umidade da pitanga em pó. Revista de Biologia e Ciências da Terra, 7(1): 11-20.

Waughon, T.G.M. 2006. Caracterização e processamento do resíduo fibrosos gerados na industrialização do suco de abacaxi. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Pará, Belém, 58p.

Publicado
2019-12-27
Cómo citar
de Sousa Pinto, E. M., Guerreiro de Faria, L. J., Pereira Costa, W. J., de Sousa Araújo Neto, C. A., Rocha Pereira, R., & Fonseca da Silva, C. L. (2019). Estudo higroscópico da polpa em pó do fruto da pitaya (Hylocereus costaricencis) em diferentes concentrações de maltodextrina. Revista De La Facultad De Agronomía, 118(2), 029. https://doi.org/10.24215/16699513e029