Avaliação comparativa de iscas atrativas a partir da riqueza de espécies de formigas (Hymenoptera: Formicidae) numa floresta de Eucalyptus grandis, em Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil

  • Jardel Boscardin Engenheiro Florestal, Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima, 1000, CEP 97105-970, Santa Maria – RS, Brasil.
  • Ervandil Corrêa Costa Engenheiro Agrônomo, Doutor, Professor Titular do Departamento de Defesa Fitossanitária, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima, 1000, CEP 97105-970, Santa Maria – RS, Brasil.
  • Juliana Garlet Engenheira Florestal, Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima, 1000, CEP 97105-970, Santa Maria – RS, Brasil.
  • Augusto Bolson Murari Engenheiro Florestal, Mestre em Engenharia Florestal pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima, 1000, CEP 97105-970, Santa Maria – RS, Brasil.
  • Jacques Hubert Charles Delabie Biólogo, Doutor, Pesquisador da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC), Centro de Pesquisas do Cacau, Laboratório de Mirmecologia, Caixa Postal 7, CEP 45600-000 , Itabuna - BA, Brasil.

Resumen

O presente estudo objetivou avaliar diferentes iscas atrativas, buscando eficiência quanto à riqueza de espécies de formigas epigéicas, potenciais bioindicadores da qualidade ambiental, em uma área antropizada, com Eucalyptus grandis Hill ex. Maiden (Myrtaceae), com 16 anos, e aproximadamente cinco hectares, localizada no campus da Universidade Federal de Santa Maria, em Santa Maria, Rio Grande do Sul. As coletas foram realizadas utilizando-se cinco tipos de iscas: sardinha com óleo (SO), sardinha com tomate (ST), patê de frango (FR), patê de fígado de frango (FG) e atum sólido (AT) distribuídas aleatoriamente na área, em intervalos de cinco metros, com cinco repetições, totalizando 25 unidades experimentais, amostradas a cada estação do ano, de novembro de 2007 a agosto de 2008. Após 60 minutos de exposição, todo o material presente sobre a armadilha foi recolhido e acondicionado em recipientes com álcool 70 % e em seguida, encaminhado ao laboratório de entomologia para separação em morfo-espécies para posterior identificação. Coletaram-se 3072 indivíduos, distribuídos em 14 espécies pertencentes a oito gêneros e quatro subfamílias. Não houve diferença estatística significativa entre as riquezas médias observadas de espécies nas iscas (DMS = 2,3252 ; g.l. = 19, p > 0,05). A isca constituída de sardinha com óleo apresentou maior riqueza média observada de espécies (SM = 5,75), porém a isca a base de patê de fígado de frango apresentou maior riqueza de espécies (S = 13), sendo que, Pseudomyrmex termitarius ocorreu somente nestas duas. Das espécies amostradas, nenhuma apresentou preferência por uma única isca atrativa específica, espécies de Brachymyrmex, Camponotus, Pheidole, Wasmannia e Solenopsis foram comuns nas cinco iscas. Portanto, no momento da escolha de uma das iscas avaliadas para a realização da amostragem de formigas epigéicas, sugere-se ponderar, além da riqueza específica, a não- presença e a presença das espécies de formigas nas iscas.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Jardel Boscardin, Engenheiro Florestal, Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima, 1000, CEP 97105-970, Santa Maria – RS, Brasil.
Engenheiro Florestal - Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Centro de Ciências Rurais, Campus Universitário – Bairro Camobi, Prédio 42 – sala 3225 – CEP 97105-900 – Santa Maria, RS – Brasil.
Ervandil Corrêa Costa, Engenheiro Agrônomo, Doutor, Professor Titular do Departamento de Defesa Fitossanitária, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima, 1000, CEP 97105-970, Santa Maria – RS, Brasil.
Doutor em Engenharia Florestal - Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Centro de Ciências Rurais, Campus Universitário – Bairro Camobi, Prédio 42 – sala 3225 – CEP 97105-900 – Santa Maria, RS – Brasil.
Juliana Garlet, Engenheira Florestal, Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima, 1000, CEP 97105-970, Santa Maria – RS, Brasil.
Mestre em Engenharia Florestal - Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Centro de Ciências Rurais, Campus Universitário – Bairro Camobi, Prédio 42 – sala 3225 – CEP 97105-900 – Santa Maria, RS – Brasil.
Augusto Bolson Murari, Engenheiro Florestal, Mestre em Engenharia Florestal pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima, 1000, CEP 97105-970, Santa Maria – RS, Brasil.
Este autor faleceu em junho deste ano, ao lado do seu nome acho conveniente expressar este fato pelo dizer "In memorian"
Jacques Hubert Charles Delabie, Biólogo, Doutor, Pesquisador da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC), Centro de Pesquisas do Cacau, Laboratório de Mirmecologia, Caixa Postal 7, CEP 45600-000 , Itabuna - BA, Brasil.
Doutor em Entomologia - Laboratório de Mirmecologia, Convênio UESC/CEPLAC, Centro de Pesquisas do Cacau (CEPEC/CEPLAC), Caixa Postal 7, CEP – 45600-000 – Itabuna, BA, Brasil.
Publicado
2011-10-17
Cómo citar
Boscardin, J., Costa, E. C., Garlet, J., Murari, A. B., & Delabie, J. H. C. (2011). Avaliação comparativa de iscas atrativas a partir da riqueza de espécies de formigas (Hymenoptera: Formicidae) numa floresta de Eucalyptus grandis, em Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil. AUGMDOMUS, 3, 10- 19. Recuperado a partir de https://revistas.unlp.edu.ar/domus/article/view/256
Sección
Artículo de Investigación Científica y Tecnológica - Investigadores formados